sexta-feira, 6 de novembro de 2009

Portishead


Este é o primeiro post do nosso blog Maria Chico. O porquê deste nome é bem simples: Maria Clara e Francisco vão usar e abusar deste blog para falar sobre coisas interessantes, algumas novidades em relação a música e livros e sobre tantas outras coisas que possam aparecer.
Pra começar resolvemos apresentar a vocês uma banda que não é nova, mas que descobrimos recentemente quando procurávamos algo interessante. A banda Britânica de “Trip Hop” (até então nunca tinhamos ouvido falar nesse estilo) chama-se Portishead. As músicas tem um conteúdo muito sensual, causado pela voz doce de Beth Gibbons, as letras profundas do sampler Geoff Barrow e a guitarra intuitiva do guitarrista Adrian Utley. A banda é formada pelos três, mas mesmo assim usam músicos auxiliares. Ela tem muita influência de música eletrônica, Hip Hop e também de Jazz. Uma combinação perfeita, e que dá certo. Ao mesmo tempo em que são sensuais podem ser considerados melancólicos, se analisarmos por outro lado.
A banda tem 3 cds já lançados: O primeiro, e em nossa opinião o melhor, é o Dummy(1994). O album é fascinante. Mostra bem como a banda é. Os destaques para as músicas “Mysterons”, “Sour Times”, “Wandering Star”, “Numb”, “Roads” e “Glory Box”. Mas o cd completo é impressionante, um ótimo trabalho.
O segundo, leva o nome da banda, e foi lançado em 1997. Agora a banda aparece um pouco mais diferente do que no seu álbum anterior. As músicas ficaram mais sérias, mas nem por isso menos envolventes. Destaques para as músicas, “all mine”,“seven months” e “only you”.
Entre 1999 e 2005 a banda entra em Hiatos e cada integrante se dedica a projetos solo ou projetos com outros artistas. Mas em 2008 eles voltam com um outro álbum. Nesse álbum vimos coisas não muito parecidas com o “Portishead” da década de 90. Agora além de mais sérias as músicas são mais calmas e as letras menos românticas. Mas mesmo assim eles ainda são os Portishead. Destaques para “Hunter”, “Magic Doors”, “Machine guns” “The Rip” e “Threads”. Em conclusão podemos dizer que Portishead é uma banda incrível e viciante, suas músicas servem de muita influência para bandas de hoje em dia, um bom exemplo é o Mombojó, daqui de Recife que usa e abusa de samplers.


Baixem aí, meninada.

2 comentários:

  1. gostei muito,continuem descobrindo mais sobre as bandas que vocês escutam.
    beijos

    ResponderExcluir